Um Estranho no Parque

Um Estranho no Parque
A leitura de livros é vista como uma tarefa ou punição difícil por muitos estudantes da Guatemala. A história de um jovem que mudou seu estudo para leitura, contra os desejos de sua mãe.
Duração do vídeo: 
03:38
Autor: 
Gabriel
Data: 
terça-feira, Julho 15, 2014
Nível: 
Youth
Description2: 

Oi, eu sou Gabriel. Minha mãe me disse que eu deveria frequentar a escola para que, quando crescer, possa me tornar um médico, ou um advogado, talvez um engenheiro.

Eu realmente não entendo por que alguém iria querer ser um desses personagens chatos, Eu quero ser um super-herói, apesar de gostar da escola, e na minha classe há lápis coloridos, giz de cera e argila para modelar. Meu professor é muito amigável e nos ensina canções. Olá, sou eu de novo. Já faz muito tempo que não me divirto nas aulas.
Eu nunca imaginei que estudar me chatearia tanto. os lápis de cor e giz de cera acabaram, não há mais argila de modelagem, eles mudaram nossa diversão por silêncio. Pensar diferente do professor é algo proibido, Eu acho que eles planejam criar um tipo de robô ou ovelha que segue o rebanho, ou pior, ovelhas robóticas.

Enfim, acho que terei que ser um advogado que é o que a minha mãe quer. Meu professor se chama Jorge Luis e acho que ele tem muitos problemas, porque está sempre de mau humor, quando incomodamos ou fazemos algo errado, ele nos faz ler um livro e escrever um resumo de pelo menos 10 folhas. Ninguém está me perguntando, mas EU ODEIO LIVROS. Eu acho que um dia eles vão se rebelar contra os humanos e nos exterminar. Ok, eu acho que estou exagerando. Mas se os livros são um monte de folhas chatas sem ação ou nada, são tão chatas que até a ideia de ser advogado me diverte.

Eu finalmente terminei a escola. Não há mais livros, nem trabalhos de casa, nem punições; e eu não quero mais ser um super-herói. Agora não sei o que quero ser. Passo muitas horas no parque e por vários dias tenho observado um estranho que passa horas e horas sentado em um banco. Ele está se comportando muito mal, porque sempre traz um livro e uma caneca de café. Vou perguntar quem é seu professor. Estou mais do que intrigado. O estranho se chama Robert e NÃO TEM PROFESSOR. Se eu ouvi corretamente, ele lê por própria vontade, Ele diz que existem milhares de mundos e coisas a saber. Que os livros são uma passagem para embarcar em um trem para mundos inimagináveis, desde a época de dinossauros a futuros onde os carros voam. Ele me recomendou alguns livros e alguns escritores. É uma lista muito grande. A propósito, ele me deu um livro chamado O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint – Exúpery. Ele disse que é o seu livro favorito.

Eu nunca pensei que ler fosse tão divertido. Eu já li muitos livros e muitos autores, Eu me senti como um pirata navegando pelos sete mares. Também como viajante do tempo explorando as galáxias. Eu gostaria de recomendar alguns dos meus autores favoritos: Dan Brown, José Saramago, Stephen Hawkins, Arthur Conan Doyle, Jules Verne, Jane Austen, Stephen King. Espero que você possa lê-los e me recomendar seus autores favoritos. E lembre-se sempre de que a leitura nos liberta. Antes de me esquecer, não quero ser um super-herói ou um advogado, muito menos um engenheiro.

Agora eu quero ser escritor. This Portuguese translation has been possible thanks to Michael McLaughlin, an independent translator from Brazil.

Rating: 

Um presente para Comundos

Ao longo dos anos, Comundos ajudou comunidades remotas em todo o mundo, ensinando o pensamento crítico, na alfabetização midiática e no uso de tecnologia de comunicação.
Para fazer isso de forma eficaz, precisamos do seu apoio para computadores, traduções, cursos e o gerenciamento de mídia social.

Obrigado!

Comundos - Crelan Bank
BE11 1030 2973 8248

Become a monthly donor